Afinal, sorvete faz bem ou mal para a saúde?

Afinal, sorvete faz bem ou mal para a saúde?

Dias quentes são um verdadeiro convite para se deliciar com uma das mais deliciosas sobremesas do mundo, o sorvete. De massa ou de palito, na casquinha ou no copinho, com ou sem cobertura, de frutas, de iogurte ou ainda acompanhado de guloseimas como chocolate, farofa, confete e o que mais você puder imaginar, os sorvetes são sempre uma tentação irresistível, saborosa e refrescante. No entanto, ao saborear um sorvete, pouca gente se questiona quanto aos efeitos que ele pode causar na saúde e como tudo na vida, ele também tem os seus prós e contras

De onde vem o sorvete?

Segundo a ABIS, Associação Brasileira das Indústrias de Sorvete, a história dessa sobremesa começa na China há mais de 3 mil anos, quando chineses passaram a misturar neve com frutas e mel, técnica aprendida posteriormente pelos árabes e depois pelos franceses. A partir de 1292, novas técnicas orientais de preparo chegaram à Itália e a sobremesa gelada se tornou um grande sucesso que tempos depois se espalhou por toda a Europa e Estados Unidos. No Brasil, o sorvete só chegou por volta de 1834, quando comerciantes do Rio de Janeiro compraram gelo que chegou ao país em um navio americano e misturaram com frutas brasileiras. Em terras tropicais, com grande variedade de frutas disponível, o sucesso estava garantido.

Composição e benefícios do sorvete

O sorvete é feito a partir da mistura de água ou leite, açúcar, gordura, suco ou aroma de frutas, emulsificante, espessante e aditivos e possui diferentes técnicas de fabricação. Sua fórmula permite que sejam acrescentados ingredientes para obter sabores e texturas variadas.

Do ponto de vista nutricional, o sorvete pode ser considerado um alimento nutritivo, pois sua fórmula possui proteína, açúcar, gordura vegetal ou animal, cálcio, fósforo, vitaminas A, B1, B2, B6, C, D, K e outros minerais que fazem bem à saúde.

Os cremosos, que são preparados à base de leite, possuem altas quantidades de sais minerais, sobretudo de cálcio, essencial para o desenvolvimento e bom funcionamento dos ossos. O cálcio existente em duas bolas de sorvete equivale ao que encontramos em um copo de leite. A grande quantidade de proteína encontrada no sorvete também ajuda o organismo a manter suas funções vitais.

E para quem se assusta com os índices calóricos dessa delícia, a boa notícia é que as taxas não são assim tão alarmantes. Uma bola de sorvete de chocolate de 60 gramas, por exemplo, possui 112 calorias, quase o mesmo que 1 pão francês de 50 gramas com miolo, que tem 135 calorias. Mas isso não significa em hipótese alguma que você possa tomar potes e mais potes de sorvete, pois gordura e proteína em excesso também fazem mal para o organismo.

É fundamental observar a quantidade de gorduras trans presente na composição dos sorvetes. Tanto ela quanto a gordura normal, quando consumidas em quantidades acima do ideal, são nocivas ao organismo e podem contribuir para desencadear problemas de saúde como aumento de colesterol ruim (LDL), doenças cardiovasculares e obesidade.

Fique atenta aos acompanhamentos oferecidos nas sorveterias. Por trás de tantas cores e sabores das coberturas, balas, farofas e outros confeitos, se enscondem centenas e centenas de calorias.

Os sorvetes de frutas costumam ser mais leves, pois são feitos com àgua, mas se compararmos com um sorvete de massa, as calorias são equivalentes, assim como os sorvetes à base de soja. A vantagem desse último é que por ser totalmente vegetal, pode ser consumido por pessoas que têm intolerância à lactose e ao glúten. Além disso, a proteína de soja ajuda a reduzir o colesterol ruim.

Para quem quer se refrescar sem precisar colocar a culpa na balança, a melhor opção são os sorvetes de baixa caloria e o frozen natural, que é um sorvete à base de iogurte. O frozen é menos calórico, rico em cálcio e em fibras que prolongam a sensação de saciedade alimentar, além disso não possui conservantes e colabora com o bom funcionamento do intestino

Além desses aspectos nutricionais, segundo pesquisa realizada na Universidade de Harvard, o sorvete também pode contribuir com o aumento da fertilidade feminina. Nessa pesquisa, 18 mil mulheres foram acompanhadas e aquelas que trocaram um copo de leite integral por sorvete, consumindo pelo menos duas porções diárias de sorvete, tiveram 85% mais chances de ovular do que aquelas que não consumiam o sorvete.

Em outro estudo realizado no Centre for Neuroimaging Sciences em Londres, pesquisadores britânicos descobriram algo que muita gente já sabia: que o sorvete proporciona prazer. Para comprovar o fato, voluntários consumiram sorvete de creme e, em seguida passam por exames de ressonância magnética, que demonstraram que o sorvete afeta as zonas de prazer do cérebro, as mesmas que são ativadas quando as pessoas estão se divertindo.

E para quem acredita que o sorvete causa gripe, resfriado ou dor na garganta e por isso, só possa ser consumido no calor, médicos afirmam que esse é apenas um mito, já que o que causa gripe é um vírus e não alimentos gelados. Os países onde o consumo de sorvete é maior são os europeus, onde oinverno costuma ser bem mais rigoroso, além disso nenhuma pesquisa científica confirma a relação dessas doenças com o consumo de sorvete no frio. No caso de inflamações de garganta como amidalite, ao contrário do que muitos acreditam, os alimentos gelados são mais indicados do que os quentes.

Mesmo com tantos pontos a favor do seu consumo, em um estudo que circula na internet e que selecionou os dez piores alimentos de todos os tempos para a saúde, o sorvete conseguiu a façanha de ficar em décimo lugar. Segundo a nutricionista canadense Michelle Schoffro Cook, os altos índices de açúcar e gorduras trans presentes nos sorvetes industrializados, além dos corantes e aromatizantes artificiais, podem causar sérios danos ao cérebro e ao sistema nervoso.

Sendo assim, sempre que pudermos optar por uma opção natural no lugar de uma industrializada, estaremos fazendo a melhor escolha para o nosso organismo, isso é fato, mas não é necessário nenhuma pesquisa para comprovar que doses comedidas de prazer, como um sorvete no fim da tarde, fazem bem para a alma. Portanto, aproveite o seu sorvete com moderação e sem culpa.

Fonte: Dicas de mulher



1 Comentário para Afinal, sorvete faz bem ou mal para a saúde?

  1. MARIA LENI RIBEIRO MARTINS

    Adorei a reportagem sobre o SORVETE…adoro me deliciar todas as noites com uma taça pequena de sorvete…Compro os industrializados, aqueles de 2 kilos, guardo no freezer, vario de sabores, abacaxi, morango, creme, sortidos..E lendo toda a reportagem não vou mais ficar preocupada com os males….Realmente ele proporciona prazer…e é bom demais, por comer com moderação e uma vez ao dia…tudo normal…Agradeço a reportagem…

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Reclamações ou sugestões? Envie uma mensagem para relacionamento@academiacorpus.com.br